A Trajetória do cantor Britânico Elton John e seu letrista Bernie Taupin
ao longo de 06 Décadas, através de imagens, áudios, vídeos, textos e animações.

ELTON JOHN BIOGRAFIA CAPÍTULO 006


SURGE LONG JOHN BALDRY


…Mostre-me em que estrada estou…

…Em que estrada, eu estou?

(Trecho faixa “Where to Now, St. Peter?” do álbum Tumblewed Connection)

Um novo emprego surgiu para Reg. O tio Roy Dwight, um jogador profissional, tinha escutado que na Mills Music, um selo de música, procurava um boy. Alguém que embrulhasse coisas, levasse papéis, fizesse e servisse chá… E Reg aceitou o desafio. Corria o tempo inteiro, procurando fazer tudo da melhor maneira possível e, nas horas vagas, ficava ouvindo as gravações que ali eram feitas.

Estava no local certo, no momento certo.

5 de março de 1965

Foi o último dia que Reg Dwight estuda na  Pinner County Grammer school, a fim de poder trabalhar na Mills Music.Começou ganhando 5 libras semanais, hoje cerca de R$ 15,00 semanais.

Mills Music
Onde o jovem Elton John trabalhou como tea boy
21 Denmark Street today
Copyright 2006 OnThisVerySpot.com.

21 Denmark Street
Camden
London WC2H
England

Nesse local com apenas 15 anos de idade Reg Dwight trabalhou, sendo su primeiro emprego dentro da indústria fonográfica , como um simples TEA BOY (servia chá) para o selo Mills Music. Esse período foi transcrito na canção de 1975 “Captain Fantastic and the Brown Dirt Cowboy” com a linha: “Two teas both with sugar please, in the back of an alley.” (Duas chícaras de chá com açucar, por favor, atrás de um beco) Enquanto trabalhava nesse local Elton tocava com a banda Bluesology,com quem lançou 03 compactos, tendo Reg Dwight como vocalista em duas das seis canções, mesmo tendo STUART BROWN como cantor da banda, graças a sua influência dentro da Mills Music.

Mills Music está localizada na legendária Denmark Street, (Britain’s Tin Pan Alley, como descrita na canção “Bitter Fingers”

Nesse local Elton encontrou aquele que viria a ser também um companheiro de longa jornada , chamado Caleb Quaye, que trabalhava como gerente de estúdio na Dick James Music tendo sido a maior influência dentro da empresa de Dick James para que Elton John e Bernie Taupin assinassem seu primeiro contrato de trabalho como compositores.

Foto Caleb Quaye

BOX CALEB QUAYE

BOX Caleb Quaye

Caleb Quaye tocou no primeiro álbum de ELTON JOHN , Empty Sky, assim como em suas primeiras gravações de carreira, seus álbuns iniciais na década de 70, tendo participado durante 10 anos na carreira de Elton, se tornado, também, um membro da banda BLUESOLOGY, até que Elton montou sua banda de apoio com Nigel Olsson, Dee Murray e Davey Johnstone. Caleb retornou a trabalhar com Elton John no álbum Rock Of The Westies e Blue Moves, entre outros.

Quando a banda Bluesology se dispersou em 1967, Quaye lançou um compacto com as canções  “Baby Your Phrasing is Bad” / “Woman of Distinction” no lado “B” (1967, Philips Records). Ambas canções podem ser encontradas na série Rubble , com “Woman of Distinction” no disco 1, and “Baby Your Phrasing is Bad” no disco 4.

In 1968, Quaye tocou guitarra na primeira tour de Elton John juntamente com Boots Slade (baixo) and Malcolm Tomlinson (bateria).

https://i0.wp.com/www.ralphmctell.co.uk/Images/caleb.jpg
Em abril de 1970, Quaye formou a banda Hookfoot com Ian Duck, Roger Pope e David Glover, tendo todos eles trabalhado também na DJM (Dick James Music) e com Elton John. O grupo foi um mix de rock e jazz incluindo canções de Quaye e Duck, entre versões de músicas de Stephen Stills and Neil Young.

O grupo acabou em 1974 e Quaye foi para os Estados Unidos, vivendo como um músico de estúdio.

In 1978, Quaye se reuniu com seus antigos membros da Elton John Band Kenny Passarelli e Roger Pope, após terminarem a tour de Elton “LOUDER THAN CONCORD, BUT NOT SO PRETTY” passando a serem banda de apoio para a dupla Hall and Oates. Caleb atambém tocou no primeiro álbum de Daryl Hall , como também com Robert Fripp (King Crimson), Dick Wagner (Lou Reed), George Harrison, Rick Nielsen (Cheap Trick), Steve Lukather (Toto), Jay Graydon e Todd Rundgren.

In 1982, Quaye abraçou a fé Cristã se ornando um músico evangelista, chamado aqui entre nós como GOSPEL . De 1986 a 1995, Quaye se associou com pastores evangélicos na igreja Foursquare em Pasadena, California. Desde 1996, Quaye é diretor dessa igreja , realizando ministérios nos Estados Unidos, Inglaterra e Europa.

https://i0.wp.com/www.musicartsrevival.com/images/Caleb.jpg
Em Fevereiro de 2006, a editora Vision Publishing lançou a biografia de Quaye , “A Voice Louder Than Rock & Roll” (Título inspirado na tour de EJ ).

No vídeo abaixo temos um momento recente de Caleb Quaye, em entrevista , onde relata sua experiência religiosa e sua entrega à Cristo.

22 de Junho de 1965 – BLUESOLOGY Assina contrato com a Roy Tempest Agency
Certo dia, um agente  musical perguntou ao Bluesology se gostariam de acompanhar alguns cantores americanos que vinham se apresentar na Inglaterra, e lá foram eles. Nessa época Reg tinha 17 anos.

Foto da banda Bluesology em 1964: Dois outros rapazes se uniram ao grupo: Pat Higgs e Dave Nurphy

A Inglaterra estava cantando. Novos grupos e clubes estavam aparecendo todos os dias e The Beatles haviam conquistado o mundo, assim como os Rolling Stones, dando um toque de excitação a todos os lugares.

O Bluesology não tinham agente ou empresário, tudo era feito por eles mesmos. Todo trabalho que surgia era aceito e,às vezes, se apresentavam 3 ou 4 vezes no mesmo dia, em locais diferentes. Como quando foram a um clube de mordomos americanos, em Londres às 16:30hs, depois seguiram para Birmingham e fizeram duas apresentações; em seguida. Voltaram para Londres e tocaram no Cue Club às 4:30 da manhã.

Aquilo tudo era muito difícil para eles, que tinham que carregar seus instrumentos de modo precário.

Certa vez o órgão de Reg apareceu com defeito e mesmo assim teve que usá-lo , suportando o terrível som que fazia.

Durante uma apresentação, Reg quase destruiu seu amplificador VOX 80, chutando-o com raiva.

Nada mudava e nada acontecia. O sucesso não surgia. 1964 valeu como experiência e para a obtenção de alguns fãs. Dois outros rapazes se uniram ao grupo: Pat Higgs e Dave Nurphy.

Bluesology é contratado pela ROY TEMPEST AGENCY como banda de apoio de seus contratantes, iniciando um novo trabalho com WILSON PICKET. Para o Bluesology foi subir dois degraus acima. PICKET era uma importante figura na época e eles estavam juntos a ele, o que já era bastante inacreditável. Mas o sonho durou pouco, pois se eles se sentiam bem tocando com Picket o mesmo não gostava  da banda e acabaram despedidos, logo que a tour acabou.

Reg Dwight no Bluesology

Surgiu MAJOR LANCE. Bluesology o acompanhou em sua turnê e em seu disco. Logo fariam algumas canções para ele e Lance resolveu “adotá-los” por algum tempo.

O grupo passou pela vida de muitos artistas… BILIE STUART…. DORIS TROY… INK SPOTS… PATTI LABELLE, que acabou fazendo o nome do grupo mudar para BLUEBELLIES, para rimar com seu nome. Reg gostava do que fazia e crescia a vontade de subir cada vez mais.

Depois que saíram da ROY TEMPEST AGENCY foram para a MARQUEE, tocando em circuitos locais e fazendo temporadas em Hamburgo.

Mick e Rex deixam o grupo e entram FRED GANDI e PAUL , vindos de outros grupos Londrinos , que haviam feito extensa tour pela França e pelo continente europeu, com uma vasta bagagem musical.

Reg começou a se cansar daquilo também. Além de não estar satisfeito com a banda, por achar que estavam sempre tocando a coisa errada no lugar errado, ficava cada vez mais frustrado com sua aparência. Estava engordando, sem destaque na banda como cantor.

Entretanto seu talento aliado ao emprego na MILLS MUSIC como tea-boy o favoreceu.

Conseguiu uma gravação para o Bluesology, pelo selo Philips, onde gravaram seu primeiro compacto , COME BACK BABY.

GRUPOS E CANTORES QUE FIZERAM PARTE DA CARREIRA DE BLUESOLOGY, ABAIXO:

BOX: OS GIGANTES DA BLACK MUSIC

A INFLUÊNCIA DA MÚSICA NEGRA NORTE-AMERICANA NO MUNDO E NA CARREIRA DE ELTON JOHN

Um pouco sobre a Black Music

Nos anos 60 a música negra tornou-se conhecida quando os cantos religiosos gospel começaram a ser divulgadas nas rádios, passando a ser conhecidas como Soul (alma). Com o seu desenvolvimento alguns cantores começaram a se destacar como Cheryl Lynn, One Way, Anita Becker e o famoso James Brown. Este, com seu estilo único de tocar guitarra acelerou o ritmo do Soul, surgindo o Soul ritmado mais conhecido como Funk Soul. Das rádios, o Funk foi para os bailes e assim começaram a ser desenvolver as danças, em suas várias versões.

Desde 1979 o mês de Junho têm sido a data de celebração da Black Music nos Estados Unidos. O então presidente Jimmy Carter designou esta data como o mês da Black Music.

Thomas A. Dorsey, é denominado o “Pai da Musica Gospel”.
A musica Afro Americana (também chamada de black music) é uma designação para uma infinidade de generos musicais, influenciado pela música Afro Americana

A partir da década de 40 versões COVER de canções afro-americanas cantadas por artistas brancos chegavam com facilidade ao topo das paradas, enquanto seus compositores originais encontravam sucesso apenas entre os seus.

ELTON JOHN NO PALCO MAIOR DA BLACK MUSIC…. SOUL TRAIN !!!!

Na década de 50 ocorreu o debut de um genero chamado “rock and roll”, onde seus expoentes incluiram Little Richard and Jackie Brenston. Nesta década artistas brancos começaram a copiar essa batida e encontrarm grande sucesso como Bill Haley and Elvis Presley tocando rockabilly, uma fusão de rock e country , enquanto artistas negros como Chuck Berry e Bo Diddley encontraram reconhecimento nunca antes ocorrido. Presley foi figura imprescindivel para levar o gosto musical para todas as platéias

FOTO DE GIGANTES: JERRY LEE LEWIS, FAT DOMINO e JAMES BROWN.

O final dos anos 50 marcou a popularidade do Blues , nos Estados Unidos e Inglaterra , com o apogeu da musica gospel Norte Americana, também chamada Soul com pioneiros como Ben E. King e Sam Cooke. Soul e R&B se tornaram um sucesso arrasador, grupos femininos como The Angels e The Shangrilas. Divas negras como Diana Ross & the Supremes e Aretha Franklin obtiveram seu apogeu. Na Inglaterra, o blues Britânico se tornou um fenômeno, retornando como influência para os Estados Unidos na GRANDE INVASÃO BRITÂNICA de grupos liderados com THE BEATLES que tocavam canções clássicas do estilo negro R&b, blues e pop de forma tradicional e adaptadas.

A invasão Britânica trouxe outras bandas para as paradas como The Mamas & the Papas.

Este era o universo musical vivido por Elton John em seu início de carreira.

A revolução musical, desde então, se tornou clara. As letras têm agora âmbito social e politico. A canção de Marvin Gaye:  What’s Going On se mostra o patamar de um novo periodo onde os artistas negros procuram lutar pelos direitos e igualdade social.

Emenim faz hoje o papel de Elvis na década de 50, tendo, também, se tornado líder de vendagem em seu estilo musical.

Elton John foi muito criticado por causa de sua apresentação com o rapper Emenim. O rapper sempre teve uma tendência homofóbica ou negativa contra os homossexuais. A apresentação foi alvo de críticas pelos grupos gays que emitiram uma nota, hoje clássica:

“Elton John cantar com Emenim foi como um Judeu cantar ao lado de Hitler”

Jun 3 1965

Bluesolgy grava duas canções. Come Back Baby é escrita e cantada por Reg Dwight e é baseada em uma canção de Ray Charles, de mesmo título. O engenheiro de som é Jack Baverstock, diretor na A&r NA Fontana Records.

ENGLAND STUDIO – Phillips Studios
July 1965 – Come Back Baby (Dwight)/Times Getting Tougher Than Tough (Witherspoon) Fontana TF594 (UK)

Reg Dwight conseguiu a chance de cantar no compacto pois Jack Baverstock, produtor da Fontana, preferiu sua voz à de Stuart Brown, que era muito baixa para a canção.

O compacto não foi sucesso, como não foi o segundo, MR.FRANTIC. O terceiro compacto saiu pela Polydor em 1967 e o nome da banda, no disco era: “Stu Brown and Bluesology.”

Em Novembro de 1965, Bluesology gravou uma segunda composição de Reg Dwight Lançado como compacto em Fevereiro de 1966 (Phillips Studios, London) intitulado, Mr Frantic , tendo como lado ‘B’ ‘Everyday (I Have The Blues)’. Em Dezembro do mesmo ano Bluesology toca com Little Richard em show único do artista em Londres no Saville Theatre, Shaftesbury Avenue. Reg fica deslumbrado. Como pianista e performance, Little Richard se torna grande influencia para ele.

24 anos depois, os dois tocam juntos no Lupus Foundation Benefit em Los Angeles e em 1993 gravam “The Power”para o álbum de Elton John Duets . A canção de 1995 “Made In England” comprova essa influencia.

February 1966 – Mr Frantic (Dwight)/Everyday (I Have The Blues)(Chatman) Fontana TF668 (UK)

Depois de algumas apresentações fora do país, incluindo Suíça e França o grupo encontrou aquele que seria sua grande chance para entrar no estrelato: LONG JOHN BALDRY.

https://i2.wp.com/www.cyrildavies.com/Images/LongJohnBaldryEPsm.jpg

Músico de blues experiente, John assistiu a apresentação de Bluesology no CROWELLIAN , um famoso clube Londrino, e gostou.

Chamou, então o líder do grupo para conversar e fecharam negócio.

A banda continuou com o mesmo nome, mas aumentou.

Entraram assim:

PETE GAVIN , na bateria.
NEIL HUBBAR, na guitarra.
MARC CHARING , no trompete.
ALAN WALKER, como vocalista
ELTON DEAN, no saxofone.

Com o tempo o próprio ALAN deu a idéia de colocarem uma cantora no conjunto e eles chamaram MARSHA HUNT, que não era um espetáculo como cantora, mas caiu nas graças de Alan e passou a cantar com eles.

acima: Reg Dwight

Marsha Hunt à esquerda
Entretanto a frustração de Reg aumentava, pois agora, além de Stuart Brown como cantor havia Alan Walker , Marsha Hunt e o próprio Long John Baldry, o deixando fora do circuito, sem a menor chance de progredir.

Reg Dwight estava, então destinado ao Ostracismo.

Junho 1965
FONTANA TF 594
A) Come Back Baby
B)  Times Getting Tougher Than Tough
Fevereiro 1966
FONTANA TF 668
A) Mr Frantic
B)  Everyday (I Have The Blues) 
Outubro 1967
POLYDOR 56195
A)  Since I Found You Baby
B)  Just A Little Bit

Bluesology (1965-67)
Back up singer
Come back baby*
Corinna
Everyday I get the blues
Heaven help us
Here’s to the next time*
Just a little bit
Let the heartaches begin
Mr. Frantic
Since I found you baby
Tell me what I say
Times getting tougher tran tough

Biografia Long John Baldry

Por Márcio Ribeiro

John Baldry nasceu no dia 12 de janeiro de 1941 em Londres, e embora seja um nome pouco lembrado, curiosamente ele esteve sempre na vanguarda do movimento blues inglês. Seu sucesso comercial é extremamente inferior a sua influência e importância no movimento blues e rhythm & blues inglês do inicio da década de sessenta.

Rapaz bastante alto, com dois metros e dez centímetros, origem do seu apelido de Long John, Baldry é dono de uma voz grave e forte. Ele se apresentava ao lado de Ramblin’ Jack Elliott antes de se aventurar com rhythm & blues. Porém, no final da década de cinqüenta atraiu as atenções de Alexis Korner e Cyril Davies, e foi convidado a participar das noitadas do Barrelhouse Club, ainda em 1959. Voltaria a cantar para Korner e Davies em 1962 quando estes formaram o hoje celebre Blues Incorporated, tido como a primeira banda de blues branco inglês de qualidade.
https://i0.wp.com/static.rhap.com/img/356x237/9/8/7/2/1022789_356x237.jpg

O fato de ser o primeiro lhe confere ar de veterano ao dividir o palco com cantores iniciantes como Paul Jones, futuro vocalista do Manfred Mann, ou Mick Jagger, futuro vocalista dos Rolling Stones. The Blues Incorporated com Baldry nos vocais e varias alterações desde sua formação inicial, lançou em outubro de 1962 o primeiro disco de blues inglês, R&B at the Marquee. Este disco seria a inspiração para bandas como John Mayall & the Bluesbreakers.

Em 1963, Long John Baldry deixou Alexis Korner e seu Blues Incorporated para se juntar a Cyril Davies, que já rompera sociedade com Korner e formara o Cyril Davies & the All Stars. Com Baldry, a banda gravou o compacto “Preachin’ The Blues/Sweet Mary” que só seria lançado em setembro, quando a banda já teria acabado. Com o diagnostico de leucemia aguda, Cyril Davies ficaria hospitalizado, deixando a banda, que seria mantida em atividade pela força de organização de Baldry. Neste período tumultuado, uma formação que incluiria ocasionalmente Jeff Beck na guitarra representaria a banda de Cyril. Infelizmente a saúde de Cyril Davies não teria recuperação e ele viria a falecer no dia 7 de janeiro de 1964.
https://i1.wp.com/images.wax.fm/long_john_baldry_long_john_baldry_amp_hoochie_coochie_men-HM560-1252446981.jpeg
Baldry assumiu controle da banda que passou então a se chamar Long John Baldry & the Hoochie Coochie Men. A formação era basicamente a mesma dos All Stars, com Geoff Bradford na guitarra, Cliff Barton no baixo, Keith Scott no piano e Micky Waller na bateria, mais Long John Baldry nos vocais. Empresariado por Giorgio Gomelsky, o mesmo que primeiro trabalhou com os Rolling Stones e depois com os Yardbirds, Baldry e seus Hoochie Coochie Men, participaram do primeiro Rhythm & Blues Festival, realizado em Birmingham. Na noite final, Baldry foi convidado a cantar para os Yardbirds enquanto Keith Relf se mantinha na gaita.

Baldry era querido no circuito, tanto, que até os Beatles o convidaram para participar de um quadro televisivo com eles. Isto quando o quarteto estava em pleno auge da Beatlemania, enquanto Baldry era ainda um completo desconhecido entre as massas. Ao conhecer um jovem cantor dormindo no banco de uma estação de trem, Baldry resolveu lhe dar uma oportunidade na banda. O nome do rapaz era Rod Stewart e ele entrou para o Hoochie Coochie Men como segundo vocalista. O futuro mega star teve com Baldry uma das primeiras oportunidades de gravar em sua carreira. Long John Baldry & the Hoochie Coochie Men assinariam com a United Artists e teriam uma serie de compactos como “Up Above My Head/You’ll Be Mine” e “I’m On To You Baby/Goodbye Baby”, este lançado em outubro de 1964.

Antes porém, em junho, Baldry conseguiu convencer Carlo Little, ex- membro dos All Stars, a voltar a tocar com o grupo. John Baldry & the Hoochie Coochie Men passaram a manter um gig regular no Eel Pie Island, tocando para um plateia que incluia gente como Jimmy Page, Peter Green, Eric Clapton e Jeff Beck, entre outros. A título de detalhe, vale mencionar que Eel Pie Island tem como banda da casa, The Trident, do guitarrista Jeff Beck. Fazem uma aparição no programa “Scene At 6:30” da TV Granada perto do final do ano e novamente Carlo Little discute sobre a viabilidade da banda passar a executar músicas com maior batida e portanto, mais comercial. Com a recusa obvia tanto por parte de Baldry como por Bradford, Carlo Little novamente deixa o grupo, que agora sem baterista e desmotivado, se desintegra de vez.
https://i2.wp.com/static.guim.co.uk/Guardian/lifeandhealth/gallery/2008/mar/26/1/GD6705050@Mandatory-Credit-Phot-1435.jpg
Com o fim do Hoochie Coochie Men, em 1965, Long John Baldry levaria Rod Stewart com ele para unir-se a Brian Auger Trinity, formando então The Steampacket. A formação incluia Brian Auger nos teclados, Vic Briggs na guitarra, Ricky Brown e Mickey Waller, ambos ex-All Stars, mesmo que em períodos diferentes, no baixo e bateria. Waller também havia trabalhado com Baldry no Hootchie Coochie Men. Nos vocais Julie Driscoli, Rod Stewart e Long John Baldry. Musicalmente mais para o soul do que para o blues, a banda era um modesto mas eficiente ensemble. Com Baldry ainda empresariado por Giorgio Gomelsky, Steampacket abriu a excursão britânica dos Rolling Stones em 1965.

John Baldry deixaria a banda em 1966 para se unir ao veterano Bluesology, cuja formação incluía o guitarrista Neil Hubbard e o pianista Reg Dwight que em poucos anos passaria a se chamar Elton John. Baldry levou Bluesology para o âmbito das baladas e com isso, seus dois líderes, Elton John e Stuart Brown, outro membro, abandonam o projeto. Baldry continuou gravando com o restante da banda, somados a músicos de estúdio, agora se apresentando em ternos elegantes com produção impecável de Tony Macauley e John McLeod. Baldry consegue então saborear pela primeira vez o sucesso de um hit conseguindo logo um nº 1 em 1967 com a balada “Let The Heartaches Begin”. Outro hit veio com a canção “Mexico” em 1968, que veio a se tornar tema dos Jogos Olímpicos daquele ano. A canção alcançou nº 20 nas paradas inglesas.
https://i2.wp.com/h.imagehost.org/0685/folder_5.jpg
Para a década de setenta, Baldry tentou mudar sua imagem novamente, portando casacos de peles além de barba e cabelos compridos. Voltaria para o blues em 1971 e 1972, com dois discos, “It Ain’t Easy” e “Everything Stops For Tea”, ambos produzidos por Rod Stewart e Elton John, ambos já super estrelas. Mas Baldry não teria mais hits nas paradas de sucesso. Imigrou para os Estados Unidos, morando em Nova York e depois em Los Angeles, onde gravou mais três álbuns na década de setenta, o melhor deles, sendo o “Baldry’s Out” de 1979, quando já havia se mudado para o Canadá. Em 1980 solicitou e ganhou cidadania canadense, onde reside até hoje, se apresentando ocasionalmente. Em 1993, depois de um hiato de mais de uma década, Long John Baldry voltaria a lançar um disco intitulado “It Still Ain’t Easy”.

Foi lançado em 1995, um CD englobando sua obra, porém é de se lamentar que poucos lembrem-se dele. Não obstante, Long John Baldry não deixa de ser um capitulo importante na história do blues inglês. Sua voz hoje é provavelmente mais conhecida entre as crianças como a voz de Nilus, personagem do desenho animado, “Nilus the Sandman”. Outro trabalho do Baldry no mercado infantil, este mundialmente conhecido, é a voz de Captain Robotnick, personagem do jogo de computador “Sonic The Hedgehog”. Porém entre os adolescentes e adultos roqueiros, ele pode ser identificado como a voz que apresenta os Rolling Stones no show registrado no disco de 1966, “Got Live If You Want It”.

http://whiplash.net/materias/bandas/longjohnbaldry.html

Destino dos membros de BLUESOLOGY:
Da banda poucos conseguiram verdadeiro destaque.
Marsha Hunt

Marsha Hunt foi mãe do primeiro filho de Mick Jagger e a canção BROWN SUGAR é dedicada à ela.

VÍDEO: ELTON DEAN

NEIL HUBBARD:
OUTROS MEMBROS:
STUART BROWN, o principal membro do Bluesology continuou carreira junto à Long John Baldry, mas após término do contrato ele saiu, sem conseguir destaque na história.
Junho 1965
FONTANA TF 594
DOWNLOAD: Bluesology Come Back Baby.mp3
B)  Times Getting Tougher Than Tough
Fevereiro 1966
FONTANA TF 668
DOWNLOAD: Bluesology – Mr Frantic.mp3
B)  Everyday (I Have The Blues) 
Outubro 1967
POLYDOR 56195
A)  Since I Found You Baby
DOWNLOAD: Bluesology – Since I found You Baby.mp3
B)  Just A Little Bit
No próximo Capítulo  de ELTON JOHN DOCUMENTO:

 

 

  1. O anúncio de Liberty Records que leva Reg Dwight e Bernie Taupin a se encontrarem.
  2. Enfim, o encontro pessoal de uma das maiores parcerias musicais da história da música
  3. O grande Hit de Long John Bardry que o leva ao sucesso e junto, Bluesology.
  4. A primeira canção da dupla, “Lord You Made The Night Too Long”, que foi publicada no lado B do single de Long John Baldry, “Let The Heartaches Begin”, em 1967
Capítulo 01 clique aqui  Prefácio Pinner
Capítulo 02 clique aqui  Nasce Elton John
Capítulo 03 clique aqui  Nasce Bernie Taupin
Capítulo 04 clique aqui  O vaqueiro Sujo
Capítulo 05 clique aqui  Bitter Fingers ( Bluesology)
Capítulo 06 clique aqui  SURGE LONG JOHN BALDRY
Capítulo 07 clique aqui O encontro com Bernie Taupin 


Deseja ser avisado dos novos capítulos via e-mail? escreva para editor@eltonjohnscorporation.com e solicite o alerta para BIOGRAFIA