A Trajetória do cantor Britânico Elton John e seu letrista Bernie Taupin
ao longo de 06 Décadas, através de imagens, áudios, vídeos, textos e animações.


 7 DE MAIO DE 1968
SCOTLAND CONCERT – Bluesology

Última apresentação de Reg Dwight com o Bluesology .

ELTON JOHN BIOGRAFIA CAPÍTULO 007

Writing
(Escrevendo)

Prefácio
O Destino não existe
“Cobaias de Deus” (Cazuza)

O destino que aproximou Elton John e Bernie Taupin parece ter sido extremamente hábil ao unir duas personalidades tão opostas em comportamento mas com uma perfeita sintonia e harmonia no que se diz respeito ao trabalho em comum.

Bernard Taupin era um aventureiro, sem destino definido desprendendo seu tempo a farras, bebidas e brigas de rua e, acredite, apesar dessas características MUNDANAS tinha o talento e a sensibilidade para ser um… poeta!

Do outro lado o ingênuo Reg Dwight, um “rapaz família”, apesar de mimado por mãe tinha uma forte personalidade para “alavancar” uma carreira solo, contudo incapaz de atravessar as longas  barreiras impostas ao longo de seu percurso sem apoio de Sheila, fundamento de tudo aquilo que fazia, não sonhava sequer em uma carreira longa …

Somando a isso curiosos acontecimentos entre anuncio de jornal, cartas enviadas, testes, correspondência de Taupin retirada quase que do lixo e a percepção de Ray Williams em juntar os dois rapazes novatos nos faz crer, fielmente, que se o destino não é escrito antecipadamente ele é engenhosamente articulado de forma a manipular ações e acontecimentos que não podem ser considerados “Mera Coincidência”.

Keith Richards, dos Rolling Stones relatou que a canção “Satisfaction” foi criada em um momento de inspiração que levou apenas 5 minutos. Elton John também teve vários momentos de grande inspiração e criou canções que consideramos perfeitas e geniais ( canção genial é aquela que além de agradar Bilhões de pessoas é capaz de ultrapassar décadas incólume) em meia hora. Acredite que ele foi capaz de criar um álbum como Goodbye Yellow Brick Road, incluindo ensaiar e gravar 22 canções em apenas 2 semanas…

O artista relatou depois que nunca mais conseguiu, mesmo repetindo o ambiente daquela época, a mesma inspiração que o levou a criar obra tão bendita.

Foi  inspiração ou “sopro do destino”, o mesmo que nos avisa de um perigo ou um objeto perdido?

Existe sim um destino… e um grande manipulador oculto nos rondando.

“Cobaias de Deus” (Cazuza)

Robson Vianna

Elton John e Bernie Taupin no vídeo “Passengers”


“É tempo de festa para os caras na Torre de Babel….

Sodoma encontra Gomorra…

Cain encontra Abel….”

Trecho da canção: “Tower of Babel” do album autobiográfico “Captain Fantastic and The Brown Dirt Cowboy”

Em uma manhã fria, em Newcastle – norte da Inglaterra – ao final de uma turnê com Baldry, Reg Dwight começou a folhear o tablóide NEW MUSICAL EXPRESS, e viu um anúncio da editora musical Liberty Records:

Em uma manhã fria, em Newcastle – norte da Inglaterra – ao final de uma turnê com Baldry, Reg Dwight começou a folhear o tablóide NEW MUSICAL EXPRESS, e viu um anúncio da editora musical Liberty Records:


“LIBERTY PROCURA TALENTOS. ARTISTAS, COMPOSITORES, CANTORES E MÚSICOS PARA FORMAR NOVOS GRUPOS”

Naquele 17 de junho de 1967, Reg percebeu que algo novo estava para acontecer, era só responder àquele anúncio o mais rápido possível. Logo que arrumou um tempo livre, foi ao Regent Sound Studio, onde seriam feitas as audições e juntou-se a outros que procuravam o mesmo que ele: FAMA.

Elton John durante tour com Bluesology na Alemanha em 1965
 Foto: REGENT SOUNDS STUDIO ONDE REG DWIGHT REALIZOU SEU TESTE.
Tremendo muito, ficou em uma sala de espera onde outros candidatos esperavam a vez como ele. Os rostos eram todos tão iguais que sentiu-se um tolo, mas respirou fundo e esperou eternos minutos, até ser chamado.Dois homens o estavam esperando, quando ele entrou no estúdio e um deles perguntou:

– O que é que você sabe fazer?
– Eu… toco piano…
– Canta?
– Canto… mas… não tenho muita prática
– Compõe?
– Componho , tenho duas canções gravadas.
– Você vai ter que fazer alguma coisa pra gente ver até que ponto você tem chance. Podia cantar para nós cinco canções feitas por você?

Reg gelou, pois não havia feito nada apresentável até então. Vendo o embaraço do rapaz, o outro falou:

– Pode ser apenas algumas suas e de outro artista…

Reg pensou um pouco e acabou cantando “He´ll have to go” e “I Love You Because” e mais uma outra, todas elas de Jim Reeves, que foram as únicas que lhe vieram à cabeça, pois costumava as tocar em casa.

TOCANDO AGORA: HE’LL HAVE TO GO UMA DAS CANÇÕES INTERPRETADAS NO TESTE

Não deu certo… Foi reprovado e dispensado na mesma hora…

Saiu do estúdio arrasado e, quando se aproximava da saída um rapaz chamado Ray Williams o chamou…

– Ei, você rapaz…

“Eu te conheço e você e você me conheceé tudo meio a meio…

As coisas que escrevemos hoje

Soarão boas amanhã”

Trecho da canção “Writing” do álbum autobiográfico “Captain Fantastic and The Brown Dirt Cowboy”

 Bernie Taupin 1968
Recostado ao parapeito da janela, Bernie observava o irmão menor divertindo-se em jogar pedras nas galinhas do quintal… A porta do quarto se abriu e a senhora Taupin entrou por ela.– Bernard!

Ele não a ouviu. Ela aproximou-se e tocou seu ombro. Bernie voltou-se.

– Não me ouviu? Ela perguntou.
– Não. Você chamou?
– Sim, tenho uma boa novidade no jornal…
– Arrumou um novo emprego para mim? Ele perguntou olhando o jornal em sua mão.
– Talvez sim e talvez não… sente-se aqui…. Leia isso, disse ela, mostrando-lhe um pequeno anuncio no jornal.

Bernie leu em voz alta:

– “LIBERTY PROCURA TALENTOS. ARTISTAS, COMPOSITORES, CANTORES E MÚSICOS PARA FORMAR NOVOS GRUPOS”

  – É uma gravadora, você poderia mandar suas poesias, não poderia?– Mas eu não sou um compositor de letras de música. Eles querem alguém que escreva música, que cante…que no mínimo seja letrista, eu não me encaixo nisso, faço poesias para formar livros, contos…

– Não se encaixa agora, porque você nunca teve a idéia de ser um compositor, mas tudo tem um começo, não é? Você sabe escrever muito bem, pode fazer o que quiser com esse dom.

– É…, disse ele, olhando novamente para o anúncio.

– Vai escrever para eles? Perguntou ela.

– Acha mesmo que vale a pena?

– O que não vale a pena é ficar aí olhando seu irmão na janela, pensando no que fazer no minuto seguinte.

Bernie estava cético em escrever uma carta, mas as escreveu e juntou um maço de poemas seus dentro de um envelope e as deixou ali, sem interesse em enviar.

No dia seguinte o envelope caiu de sua escrivaninha, indo parar na cesta de lixo. Ele se esqueceu da carta e ela seria certamente jogada fora com o resto do lixo, se sua mãe nas as visse.

Reconhecendo a letra de Bernie e vendo que era a carta para ser enviada à gravadora ela a apanhou e as arrumou novamente.

– Por que será que ele jogou no lixo?… perguntou a si mesma. Não… talvez tenha deixado cair… Ou será que ele desistiu?…

Disposta a fazer com que seu filho tomasse um rumo certo na vida, a senhora Taupin postou ela mesma o envelope para a Liberty. Bernie nem soube disso ou se lembrou da carta.

As poesias chegaram nas mãos de Ray Williams que no teste de Reg ocorreu de entrar na sala e presenciar parte de sua apresentação. Ele achou que Reg Dwight era um bom cantor e instrumentista mas precisava saber compor letras, algo que não tinha experiência, assim como gostou das letras de Taupin, mas ele não sabia compor música… Voltou para sua sala e pegou o envelope de Bernie e voltou para a sala de audição. Reg já havia saído de lá, reprovado.

– Onde está o rapaz de óculos? Perguntou aos assistentes.
– Já foi embora, nada feito !
– Quero lhe entregar uns poemas que eu recebi.
– Corre que ele deve estar no corredor aí fora…

Com rapidez Ray conseguiu encontrar Reg ainda dentro do edifício…Então…

Ei, você rapaz…  

Foto acima: Elton John e Ray Williams. Foto retirada do link: http://www.crumbsmusic.com/ray.asp

Reg voltou-se e esperou… Estava aborrecido com o resultado e queria sair logo dali.

Ray Williams aproximou-se dele e lhe estendeu a mão.

– Meu nome é Ray Williams e ouvi seu teste. Seu nome é…
– Reg Dwight…
– Lamento ter sido reprovado.
– Vocês devem ter prática em fazer isso por aqui, disse ele irônico.
– Isso não quer dizer que você não tenha chance. Você precisa de alguém que faça as letras para você As canções que você cantou não eram suas. Todo mundo sabia disso lá dentro.
– Eu falei que não sabia fazer letras. Sou músico, não poeta.
– Eu tenho um poeta para você… É um rapaz de Grimsby, novato ainda como você, mas escreve bem, fiquei impressionado, mas não sabe compor músicas , achei que seria o caso de você escrever para ele.

Ray estendeu-lhe o envelope de Bernie que Reg segurou ainda desanimado.

– Escreva para ele. O nome é Bernard Taupin. E… boa sorte.

Ao chegar em casa Reg começou a ler as poesias de Bernie e, de certa forma gostou. Pelo menos havia alguma coerência nelas do que nas letras que havia experimentado escrever, apesar da falta de pontuação. Parecia que Bernie escrevia tão rápido quanto pensava e não delimitava pausas no texto.

Eram cerca de 30 poemas. Uma delas lhe chamou a atenção e ele foi até o piano colocar nela alguma melodia. Depois de algumas horas de sucos e sanduíches que Sheila lhe trazia, surgiu Scarecow (Espantalho) que ele tocou para sua mãe ouvir e ela gostou.

O sentimento que Reg tinha para com a música se encaixava com os temas de Bernie em suas poesias.

Sem perder tempo Reg escreveu para Bernie , lhe pedindo mais letras.

JUNHO 1967:

Bernie Taupin manda 50 poemas pelo correio e Reg escreve a melodia para a primeira canção da dupla “SCARECOW” (Nome citado na faixa CURTAINS do álbum “Captain Fantastic”…) que é publicada pela companhia HOLLIES que têm contrato com a DICK JAMES MUSIC.
“Conhecia esse velho espantalho, ele foi minha canção, meu jubilo e tristeza’
Letra de Scarecrow:

You’re too low to see me smiling
When I’m flying in the air
But you’re too high to frighten me
Pretend you didn’t see me
Pretend you didn’t need me
Pretend you didn’t see me
Pretend you didn’t need me

To frighten away all the lost and the lonely
The sacred forgotten of yesterday’s problems
Your wooden construction was meant for infliction
To penetrate pain with the thoughts from my mind

Can you see me scarecrow
Can you still feel free
For all your love scarecrow
And will you still be there tomorrow
And will you still be there tomorrow

Like moths around a light bulb, your brain is still bleeding
From visions and pictures of nature’s young raincoat
If only my eyes were not pinned to your table
My arms would be grasping the lilies of summer
It’s no good to be a scarecrow post
And I’ve said it before, and I’ll say it some more

Baixe a canção SCARECOW, a primeira composição de Elton John e Bernie Taupin clicando na animação acima – Oferecimento de LEONARDO FRAZÃO, membro do fórum de Elton John´s Corporation:

BOX RAY WILLIAMS

http://en.wikipedia.org/wiki/Ray_Williams_(producer)
Ray Williams, (nascido em 1947, em Londres, Inglaterra), é um editor musical na A&R. Foi ele a pessoa que descobriu inicialmente Elton John e o levou a encontrar seu letrista, Bernie Taupin. Williams tem sido uma figura proeminente na industria fonográfica e de filmes a anos como um porta voz , diretor, produtor musical e de filmes e editor de ambos na A&r.
Durante os anos 60, Williams trabalhou com Cathy McGowan, que concebeu “Ready Steady Go”. Ele também foi agente de grandes nomes do cenário artístico como Sonny & Cher, Cream, Robert Stigwood, e para o teatro Saville de Brian Epstein. Ele eventualmente se tornava gerente da A&r para a Liberty Records, onde fechou diversos contratos que culminaram a trazer à tona artistas de sucesso como Jeff Lynne (ELO), The Bonzo Dog Doo-Dah Band e Mike Batt, entre outros.
Nesse época a reputação de Williams em descobrir novos talentos estava em evidente crescimento. Em 1967, ele descobriu Elton John e o uniu a Bernie Taupin que se tornaram uma das maiores e bem sucedidas parcerias musicais de nossa era. Williams empresariou  John em seus primeiros cinco álbuns. Também lançou Stealers Wheel (Gerry Rafferty) e The Blues Band.
Desde 1984, Williams se tornou um produtor de filmes e produções para televisão na Europa. Seu nome está incluso nos créditos de filmes como “O ÚLTIMO IMPERADOR” ( “The Last Emperor“) de Bernardo Bertolucci (1988), com o qual recebeu o prêmio da Academy Award, Golden Globe Award, Grammy e o prêmio por “The Sheltering Sky” (1990) com o qual ganhou o Globo de Ouro, em Los Angels.
P.S. Você pode ver Ray in um novo DVD entrevistando Elton John, recentemente lançado (Outubro) pela Eagle Rock.

Ray é casado com Ysabelle e têm 3 filhas Amoreena,Polly e Chloe.
mais dados biográficos em:

clique e nova janela se abrirá

No LP “Captain Fantastic and The Brown Dirt Cowboy” a cena é retratada em uma história em quadrinhos, acima.

Quando a carta de Reg chegou à casa dos Taupin, a mãe de Bernie a recebeu e, satisfeita, colocou o envelope sobre a escrivaninha do rapaz, para que ele a visse logo que chegasse.

Ela não sabia o conteúdo da carta, nem quem era Reginald Dwight, mas a carta era de Londres e só poderia ser alguma resposta referente ao anúncio do jornal.

Bernie estranhou ao ver a carta. Apanhou o envelope e ficou olhando para ele , sem entender.

– Reginald Dwight… tentando se lembrar se havia tido algum amigo com esse nome.
Tony, seu irmão, olhou para ele.

– Quem?
– Eu não conheço nenhum Reginald Kenneth Dwight…
– Vai ver é algum de seus amigos bêbados…

Sentou-se na cama e começou a ler a carta, onde Reg se apresentou, explicando como recebeu a carta que ele tinha enviado para a gravadora e comentando que tinha feito músicas para vários de seus poemas e solicitando mais letras para composição.

Os olhos de Bernard cresciam junto com seu sorriso pois não havia enviado aquela carta, ou se lembrava disso.

– Que foi? Ta rindo do que? – disse seu irmão Tony.
– Esse cara, Reginald Dwight, é músico. Deram para ele meus poemas e ele as transformou em músicas!
– Músicas?

Bernie contou toda a estória do anúncio e da carta que escreveu mas não enviou.

Após saber da mãe que fora ela que havia enviado a correspondência, Bernie foi para o quarto a fim de copiar para o papel dezenas de suas poesias.

Ao receber os poemas, cerca de cinqüenta, Reg mal pôde acreditar no que lia. Eram textos loucos, quinze linhas sem ponto ou vírgula. Tudo muito no ar e… gostou… Animado começou a compor imediatamente.

Acabado o trabalho. Correu e levou suas composições a Ray Williams, que o recebeu muito bem. Depois de ouvir as canções, Ray disse:

– São boas…
– Só? Que quer dizer essa resposta?
– Eu sabia que esse rapaz, Bernard ia te ajudar, só que agora você precisa de um bom produtor…
– O senhor têm algum aí no bolso, assim como fez com Bernard?
– Por coincidência, tenho sim, Já ouviu falar de Dick James? Ele ajudou a lançar os Beatles e um monte de gente boa. Dick está ligado à nossa companhia; portanto; eu não estou dispensando você, estou apenas te mandando a alguém mais influente que nós.


BOX DICK JAMES

Dick James ( nascido como Reginald Leon Isaac Vapnick , em 12 de dezembro de 1920, em East End, London ) era um editor musical e fundador da  DJM records.

James cantou com bandas de dança ao norte de Londres quando adolescente e foi um vocalista da banda Cricklewood Palais aos 17 anos de idade. Ele se juntou à banda Henry Hall , e fez a primeira transmissão ao vivo de rádio em 1940. Serviu na guerra em 1942 e após a II grande Guerra continuou a cantar com bandas de sucesso incluindo Geraldo’s. Após isso foi membro do popular grupo vocal dos anos 50  The Stargazers,

Ele foi o cantor da canção tema do seriado  Robin Hood e da canção tema de The Buccaneers , da tv britânica em 1950, e foi amigo e se associou com o renomado produtor de discos George Martin.

James ingressou no negócio de editor musical e sua carreira como cantor terminou em 1963 fundou a  Northern Songs Ltd., com os Beatles John Lennon e Paul McCartney, para registrarem as canções da dupla. (Os outros dois membros do Beatles George Harrison e  Ringo Starr também assinaram com a Northern Songs como compositores,mas não renovaram seus contratos em 1968). A empresa de  James, a  Dick James Music, administrava a Northern Songs.

O que inicialmente se iniciou como uma amigável relação de trabalho entre os  Beatles e James se desintegrou após os anos 60; os Beatles consideraram que James traiu sua confiança e levava vantagem deles , pois ele vendeu a Northern Songs em 1969 sem oferecer a chance para a banda de comprar o controle acionário da companhia. James se beneficiou da venda da empresa e da venda dos direitos de autoria das canções dos Beatles e os mesmos nunca mais puderam ter lucro financeiro das canções que criaram

No álbum pirata dos Beatles com músicas não lançadas no famoso ÁLBUM BRANCO existe uma canção intitulada “shaking in the 60’s” com a linha “Shaking in the 60’s and we’re booked by Isaac James” uma referência ao verdadeiro nome de Dick James.

Durante os anos 60 ele também foi empresário de  Billy J. Kramer e Gerry & the Pacemakers.

James contratou Elton John e seu letrista Bernie Taupin quando ainda desconhecidos em 1967. Todos os lançamentos de Elton John até 1976 foram através do selo DJM. O selo também abrigou  Jasper Carrott, RAH Band e John Inman.

John fundou seu próprio selo a Rocket em 1976, mas em 1982, John se envolveu em uma longa batalha judicial com James por falta de pagamento de direitos autorais.

Dick faleceu em 1 de fevereiro de 1986, na idade de 65 anos, após perder processo movido por Elton John e Bernie Taupin por pagamento de direitos autorais. Teve que desprender bens para quitar os débitos.

…Faleceu de ataque cardíaco.

Only a Northern Song
Breve História do Catálogo Musical dos Beatles

O editor musical Dick James em parceria com Brian Epstein e os Beatles fundou em 1963 uma empresa para publicar as canções produzidas por John Lennon & Paul McCartney. Inicialmente tentaram incluir George Martin no negócio, mas o maestro recusou alegando que seu negócio era produzir música, não ‘empresariar’. Ético, o produtor também alegou que por ser funcionário da EMI haveria certamente um conflito de interesses se ele se tornasse sócio de uma editora musical. Para administrar a produção no mercado norte-americano criou-se a subsidiária MacLen Music, adotando curiosamente como nome-fantasia as iniciais dos sobrenomes dos parceiros: ‘McCartney’ precedendo ‘Lennon’. George Harrison e Ringo Starr não eram compositores como John & Paul, mas foram aconselhados a entrar no negócio para o caso de começarem a escrever. E também como garantia de recebimento dos direitos de participação como músicos nas gravações. Dick James já atuava no ramo desde a década de 50 com sua editora, Dick James Music e passou a administrar tanto a Northern quanto a MacLen. Mais tarde quando os primeiros contratos assinados expiraram, George Harrison e Ringo Starr decidiram cair fora. George criou uma editora musical própria (Harrisongs Ltd). E Ringo a Startling Music. John Lennon & Paul McCartney renovaram com a Northern.

Em um novo movimento, já no ano de 1965, Dick James e Brian Epstein decidiram abrir o capital da Northern Songs para driblar os altos impostos ingleses. Foi necessário fazer uma reorganização das participações. John & Paul ficaram com 15% cada um. Brian em nome de sua empresa pessoal NEMS, ficou com 7,5%. Dick James e seu parceiro Charles Silver ficaram com 37,5%. Minoritários no negócio, George Harrison e Ringo Starr amealharam apenas 1,6% cada. O resto foi negociado junto à bolsa de valores da Inglaterra, a London Stock Exchange. Assim a empresa que nasceu com o capital integralmente privado foi parar no mercado de ações negociando arte e talento musical.

Em 1967 George Harrison foi um dos primeiros a demonstrar seu descontentamento com a forma como a Northern manipulava as músicas, tanto que escreveu especialmente para o disco Sgt. Peppers uma faixa de protesto intitulada, Only a Northern Song. A letra é bem ácida e irônica, mas a canção ficou fora do álbum, e só seria aproveitada mais tarde, na trilha sonora do desenho animado Yellow Submarine. George pouco depois conseguiu se libertar da empresa controlada por Dick James e fundou a editora Harrisongs. O pior, porém, ainda estaria por acontecer.

Depois da morte de Brian Epstein, John Lennon & Paul McCartney tentaram renegociar o contrato da Northern Songs com a empresa de Dick James, mas o empresário recusou. O clima entre as partes – que não era bom desde o final de 1966 – piorou. Em 1968 foi tentada uma nova rodada de negociações. Dick James foi chamado para uma conversa na Apple. Ao entrar não gostou do que viu. John e Paul propuseram filmar e gravar a conversa com ele. James não aceitou e foi alvo de muita indelicadeza. O clima ficou pesado e os três discutiram de forma áspera. Aí já estava bem claro que Lennon & McCartney tinham razões para duvidar da conduta e da honestidade de James. E estavam certos.

No início de 1969, Dick James e Charles Silver simplesmente venderam de forma abrupta suas participações na Northern Songs para o grupo Associated Television (ATV) sem qualquer comunicação aos Beatles. Aos rapazes não foi dado sequer o direito de preferência para adquirir o pedaço da Northern que iria parar nas mãos de Lord Lew Grade. Para se ter uma idéia, John Lennon tomou conhecimento quando estava lendo um jornal durante a lua-de-mel com Yoko Ono. Imediatamente telefonou para Paul McCartney, mas o estrago já estava feito. De olho no mercado de ações a ATV já era proprietária de alguns ‘pedaços públicos’ da Northern Songs, ao ponto de ameaçar uma participação como majoritária numa instituição cuja razão de existir era a música dos Beatles!

Allen Klein, que estava começando a trabalhar com os Fab Four tentou uma manobra, um contrato entre a ATV e a Apple cujo objetivo final era a ‘compra’ da ATV. O advogado John Eastman – cunhado de Paul e filho de Lee Eastman, entrou na jogada e abortou a tentativa. Escreveu uma carta a ATV comunicando que Klein não tinha autorização para negociar em nome da Apple. Vale o registro: Klein tinha, na realidade, uma autorização concedida por John, George e Ringo para representar os Beatles, e sustentava ter uma ‘autorização verbal’ de Paul McCartney para negociar em nome da banda. A ATV, temerosa de futuros problemas legais, desistiu da negociação. Por pouco parte do catálogo dos Beatles não foi parar na ABKCO como o dos Stones.

* “Robin Hood” / “The Ballad of Davy Crockett” – (1956) – Number 14
* “Garden of Eden” – (1957) – Number 18

Reg Dwight tinha um conhecido na DICK JAMES MUSIC (DJM), Caleb Quaye, engenheiro de som na empresa, com quem já tinha contato na Mills Music.

Reg explicou a Caleb sua história com Ray Williams e que tinha músicas próprias em parceria com um rapaz chamado Bernard Taupin.

Caleb Quaye como no encarte do álbum “Rock Of The Westies” de 1976

Caleb Quaye conhecia seu patrão… não havia modo dele apresentar um desconhecido, novato, sem experiência e lhe tomar seu precioso tempo, mas desejava ajudar o amigo de alguma forma. Combinaram de usar sem o conhecimento do patrão, Dick James, o aquário de gravadora a fim de realizar gravações de demonstração (DEMO TAPES) das canções criadas por Reg. Depois as apresentariam a Dick ou a outra pessoa ou companhia.

Reg e Caleb fizeram tudo em segredo, Reg tocou para ele as canções feitas com as letras de Bernie… uma delas foi “Already The Mollies”.

Reg foi regularmente ao estúdio de Dick James e gravou vários DEMOS, tudo isso enquanto tocava junto ao Bluesology.
A partir de Junho de 1967, a coleção de canções demo de Elton e Bernie se tornaram conhecidas como Sergeant Zippo sessions . Essas sessões foram assim batizadas pelos fãs. Um acetato existe dessas gravações e Elton tencionava usar esse material para seu primeiro álbum. Também intituladas como I’ve Been Loving You” sessions, o tema musical the Sergeant Zippo foi uma alusão que as canções teriam sido inspiradas pela gravação do álbum dos Beatles Sgt Pepper. Gravação dessas faixas estão disponíveis na coleção em CD  “Unsurpassed Dick James Demos”. Vol 1, 2 e 3 que compreende a maioria dos trabalhos gravados por Elton no inicio de sua carreira na Dick James Music. Parte dessas canções aparecem no lançamento abaixo, THE NICK DRAKE SESSIONS.

BOX :  THE NICK DRAKE SESSIONS

”Nick Drake Session & DJM Demos” 1968
Nesse lançamento você pode ouvir as sessões de gravação de Elton John nos estúdios da Dick James Music Studio em 1968. Elton John está cantando canções de Mike Heron, John Martyn, Nick Drake and Beverly Martin arranjadas pelo produtor de Nick Drake, Joe Boyd.

As gravações são realizadas por Elton John – vocals/piano, Linda Peters (depois Thompson) nos vocals, Jim Capaldi – bateria, Simon Nicol – guitarra, Pat Donaldson – baixo.

01 When The Day Is Done
02 Saturday Sun
03 Sweet Honesty (incomplete)
04 Way To Blue
05 Shadows On The Wall
06 You Can’t Deny That I’m You (incomplete)
07 I Don’t Mind
08 Give Me Something To Hold On To
09 Time Has Told Me
10 It’s Yours, Go Out And Get It (incomplete)
11 the Tide Will Turn For Rebecca
12 When The First Tear Shows
13 Angel Tree
14 Turn To Me
15 I Can’t Go On Living Without You
16 When I Was Tealby Abbey
17 A Dandelion Dies In The Wind
18 You’ll Be Sorry To See Me Go
19 Where It’s At
20 I Get A Little Bit Lonely
21 Hour Glass
22 Taking The Sun From My Eyes
23 And The Clock Goes Round
24 Regimental Sgt. Zippo


Propaganda acima de show da banda Bluesology e Long John Baldry no final de 1966.
Setembro de 67
REGISTRO DAS CANÇÕES:

  • A Dandelion Dies In The Wind
  • A Little Love Goes A Long Long Way (Reg Dwight)
  • Can’t You See It (Reg Dwight)
  • If You Could See Me Now (Reg Dwight)
  • Mr Lightning Strikerman
  • Onetime, Sometime or Never
  • Scarecrow
  • Velvet Fountain
  • Watching The Planes Go By

Registradas pela The Hollies publishing company, Gralto, ( subsidiaria da Dick James Music).

Julho e Agosto de 1967

Reg Dwight é contratado através de uma agência para substituir Eric Hine nos teclados na banda Simon Dupree And The Big Sound durante uma tpur na Escócia. Reg tocou um órgão Hammond e Mellotron por £25 libras por semana.
Simon Dupree And The Big Sound gravaram mas não lançaram a canção de Elton John / Bernie Taupin intitulada I’m Going Home. Elton contribuiu nessa gravação tocando piano , assim como nas canções  lançadas Laughing Boy From Nowhere e Give It All Back. Todas podem ser encontradas no CD lançado em 27 de abril de 2004 Simon Dupree And The Big Sound.

Essa informação foi retirada do site de Peter O’Flaherty’s Simon Dupree and The Big Sound. Peter foi o baixista no grupo. Visite o sitye de Peter e veja as fotos de Reg Dwight naquela época em tour pela Escócia , para isso Be sure to visit Peter’s site to clique aqui – nova janela se abrirá.

SCOTLAND CONCERTS – Simon Dupree And The Big Sound com Reg Dwight nos teclados

  • Glasgow e área ( 3 noites )
  • Brodick, Island of Arran. 2 dias e noites.
  • Forte William
  • Inverness
  • Aberdeen
  • Stonehaven
  • Arbroath
  • Dundee
  • Perth
  • Stirling
  • Falkirk
  • Edinburgh ( Two nights ).

Informações dop site de Peter O’Flaherty’s Simon Dupree and The Big Sound.

Naquele final de ano de 67, Long John Baldry conseguiu a chance de lançar um novo disco. Apesar de estar tocando nos shows com o Bluesology ele não usou a banda para a gravação desse LP (Long Play) usando músicos mais profissionais.

Marsha Hunt saiu do grupo, pouco tempo depois com Stuart Brown e formaram o conjunto COCHISE. Tempos depois ela entraria para o elenco do musical HAIR e teve moderado sucesso na carreira solo.

https://i0.wp.com/hairgetskinky.com/wp-content/uploads/2011/02/marsha_hunt_1.jpg

Long John Baldry consegue alcançar o primeiro lugar nas paradas de sucesso britânicas com a canção “Let The Heartches Begin”. Bluesology, então, com o sucesso do disco de Baldry, a banda que antes tocava em obscuras casas de espetáculo passou a tocar em grandes locais, mas essa mudança desagradou Reg e o resto do grupo, porque Baldry cantava com “playbacks”, ou seja, dublando e os membros do Bluesology fingia que tocava.

Entre 1967 a 1970 faz demo tapes de:

Junho a dezembro 1967
“THE SERGEANT ZIPPO SESSIONS”
A dandelion Dies in the Wind, A Little Love Goes A Long Long Way, Can’t You See It, Mr Lightning Strik a man, Onetime, Sometime or Never , Scarecrow, Velvet Fountain, Nina, Watching The Planes Go By, I Want To See You Smile (Elton John / Caleb Quaye), Countryside Love Affair , I Could Never Fall In Love With Anybody Else, I get a Little Bit Lonely, Where it’s At (Reg Dwight with Nicky James), Who’s Gonna Love You (Reg Dwight with Kirk Duncan), The Witch’s House, Year Of The Teddy Bear, Annabella, Colour Slide City, I Cant Go on Living Without You, Lemonade Lake, Mirrors of My Mind, Queen of Diamonds, Season of the Rain, Swan Queen of the Laughing Lake, The Tide Will Turn for Rebecca, Here’s to the Next Time, I’ve Been Loving You, Thankyou for All of Your Loving (with Caleb Quaye), Regimental Sgt Zippo, The Angel tree, Tartan Coloured Lady.
Janeiro a Agosto 1968 (Canções especificamente escritas pela dupla para outros artistas).
Reminds Me of You, I’ll Stop Living When You Stop Loving Me, And the Clock Goes Round, Trying To Hold On To A Love That’s Dying, When I was Tealby Abbey, You’ll be Sorry to See Me Go, Cry Willow Cry, If I Asked You, There is Still A Little Love,
Baby I miss You, My Bonnie’s Gone Away, There’s Still Time for Me, I love You and That’s All That Matters, I’ll Never Let You Go, Not the Man I Used to Be, Sing Me No Sad Songs, Sitting Doing Nothing (with Caleb Quaye), Taking the Sun Frm My Eyes,
Turn To Me, When The First Tear Shows.
Outros demos:
Digging My Grave, Two Of A Kind, Going Home, Just An Ordinary Man, Smokestack Children, The Girl on the Angle ,Pavement, If You Could See Me Now, Sarah’s Coming Back (Paul Raymond and Tony Murray), S.O.S.
entre outras
Notas sobre a primeira canção de Elton John e Bernie Taupin gravada: “Lord You Made The Night Too Long” lado B de “Let The Heartches Begin”

Nota ( Débora Machado & Robson Vianna):
O lado B de “Let The Heartches Begin” foi  ANNABELLA na discografia INGLESA

http://en.wikipedia.org/wiki/Let_the_Heartaches_Begin
Em  Novembro de 1967,  Bluesology realizou apenas o backing em “Anabella“, o lado B do compacto lançado na Inglaterra (PYE 7N17385) por Long John Baldry. “Hey Lord, You Made the Night Too Long – escrita pela dupla foi o lado  B do compacto ( “PYE 7N17408” ), para lançamento no exterior.

Texto abaixo retirado do web site:

http://www.thebeatles.com.br/off-topic/lpa-elton-john.htm

clique e nova janela se abrirá.

A primeira canção da dupla, “Lord You Made The Night Too Long”, foi publicada no lado B do single de Long John Baldry, “Let The Heartaches Begin”, em 1967

Já ouviram Elton John em “Come And Get It”?
Tal como os Beatles, também Elton John trabalhou que nem um cão para chegar ao estrelato.

Reginald Kenneth Dwight, nascido em 1947, aprendeu piano aos 4 anos, teve a sua primeira banda aos 11 e deu o seu primeiro concerto aos 12, tendo como ídolos Winifred Atwell e Charlie Kunz.

A banda, de r&b, chamava-se Corvettes que se transformou pouco depois em Bluesology, nome retirado de um trecho de Django Reinhardt.

A solo, com versões de Jim Reeves, Reg Dwight ganhava uma libra por noite, mais as gorjetas, dinheiro com que comprou o seu amplificador.

Aos 16 anos arranjou emprego como paquete na Mills Music Publishers, em Londres, onde fazia recados para Joe Loss.

Aos 18 anos, em 1965, escreveu a sua primeira canção de sempre, para os Bluesology, “Come Back Baby”, que também foi o primeiro single do grupo.

Aos 19 anos, Reg Dwight teve Long John Baldry como “frontman” do grupo que se expandiu para nove membros, entre os quais Elton Dean no saxofone.

Aos 20 anos, em 1967, desiludido com o rumo musical da banda, Reg Dwight fez uma audição para a Liberty Records, mas foi recusado, como os Beatles tinham sido na Decca. Mas teve mais sorte que os quatro de Liverpool.

Apesar de chumbado como cantor, Reg Dwight foi encarregue de musicar letras que Bernie Taupin enviava para a editora. As primeiras 20 canções foram compostas sem os dois se encontrarem.

A primeira canção da dupla, “Lord You Made The Night Too Long”, foi publicada no lado B do single de Long John Baldry, “Let The Heartaches Begin”, em 1967.

Foi neste momento que Reg Dwight mudou o seu nome para Elton John, “Elton” de Elton Dean e “John” de Long John Baldry, seus companheiros nos Bluesology.

No dia 01 de Março de 1968, com 21 anos, Elton John publicou o seu primeiro single a solo, “I’ve Been Loving You Too Long”, sem grande sucesso.

Aos 22 anos, em 1969, nova derrota para Elton John: foi recusado como vocalista principal dos King Crimson.

No mesmo ano, uma canção sua e de Taupin, “I Can’t Go On Living Without You”, foi uma das finalistas da entrada da Grã-Bretanha no Festival Eurovisão da Canção, na interpretação de Lulu.

Em Junho de 1969, Elton John publicou o seu primeiro álbum a solo, “Empty Sky” e tocou piano no êxito dos Hollies, “He Ain’t Heavy, He’s My Brother”.

No final do ano, à míngua de libras, Elton John foi obrigado a vender anonimamente a sua força de trabalho como pianista e vocalista em versões de sucessos que eram publicadas em álbuns baratos com o título “Top Of The Pops”, álbuns que são hoje considerados objectos “kitsch”, e de culto, pelas suas capas de “gajas boas, desnudadas”.

O êxito para Elton John só começou nos finais de 1970 e, como sói dizer-se, o resto é história.

Em 1994, à revelia de Elton John, a RPM, editora britânica especialista em catálogos, publicou o CD “Reg Dwight’s Piano Goes Pop” que reune as participações de Elton John nos pirosos álbuns “Top Of The Pops”.

No alinhamento do álbum surge “Come And Get It” e assim está justificado o título da crónica e a máxima de que “tudo tem a ver com os Beatles”.

LPA

Capítulo 01 clique aqui  Prefácio Pinner
Capítulo 02 clique aqui  Nasce Elton John
Capítulo 03 clique aqui  Nasce Bernie Taupin
Capítulo 04 clique aqui  O vaqueiro Sujo
Capítulo 05 clique aqui  Bitter Fingers ( Bluesology)
Capítulo 06 clique aqui  SURGE LONG JOHN BALDRY
Capítulo 07 clique aqui  O encontro com Bernie Taupin 


Deseja ser avisado dos novos capítulos via e-mail? escreva para editor@eltonjohnscorporation.com e solicite o alerta para BIOGRAFIA